Patrulha Maria da Penha faz ação de conscientização sobre violência doméstica

A partir de agora, sempre às segundas-feiras, os policiais estarão no CRTM para falar do programa e orientar sobre os direitos das mulheres




19/07/2021, 17h53, Foto: SupCom/Verônica Mattos.

Toda segunda-feira, a convite do Centro de Referência e Tratamento à Mulher (CRTM), a Patrulha Maria da Penha —, Guardiões da Vida —, do 8º Batalhão de Polícia Militar (8º BPM), em Campos, estará orientando as mulheres atendidas no CRTM sobre violência doméstica. A ação começou hoje (19) e é fruto da parceria firmada em junho deste ano entre o CRTM e a Patrulha. Por meio da parceria, as mulheres que sofreram algum tipo de agressão e são acompanhadas pela Patrulha têm realizado exames ginecológicos de rastreio de câncer do colo do útero e recebendo informações sobre planejamento familiar. Só aquelas que manifestam desejo são atendidas no CRTM. (leia mais abaixo)


Nesta segunda (19), os cabos Aline do Espírito Santo e Sérgio Alexandre Sá Pereira da Silva distribuíram panfletos com informações sobre o programa, que visa proteger, monitorar e acompanhar mulheres que receberam da Justiça Medidas Protetivas de Urgência estabelecidas na Lei Maria da Penha. (leia mais abaixo)


O diretor do CRTM, Uanderson Barreto, disse que a iniciativa do Centro tem por objetivo garantir o direto à saúde e à vida dessas mulheres. “Esses direitos não podem ter restrição. Saúde não é só cuidar do corpo, mas da mente e do bem estar social”, afirmou.


Ele afirmou ainda que é importante as mulheres terem conhecimento que existem outras formas de denúncia e acolhimento, além de ir a uma delegacia. “Queremos tornar o CRTM uma unidade Porta Aberta para essas informações”. (leia mais abaixo)


Segundo a cabo Aline, o programa já atendeu 750 mulheres na área de atuação do 8º BPM, a partir de solicitação da Justiça, desde sua implantação em agosto de 2019, em todo o estado do Rio de Janeiro. "O objetivo da patrulha é fiscalizar o cumprimento de medidas protetivas. Realizamos visitas periódicas às casas daquelas que possuem alguma medida de proteção e, em caso de descumprimento, o agressor pode ser preso, como já ocorreu".


Já o cabo Sá afirmou que a Patrulha estará sempre à disposição para ajudar. “Não é preciso vergonha para denunciar. Nossa intenção é criarmos uma relação saudável com essas mulheres”. Além de Campos, o 8º BPM atua nos municípios de São Fidélis, São Francisco de Itabapoana (SFI) e São João da Barra (SJB). (leia mais abaixo)


REDE DE PROTEÇÃO – A subsecretária de Política para Mulheres, Josiane Viana, visitou as dependências do CRTM em junho para conhecer o local de instalação do mamógrafo, importante equipamento de prevenção ao câncer de mama. A subsecretaria foi criada este ano pelo prefeito Wladimir Garotinho, que também está trazendo para o município, em parceria com o Governo do Estado, o Centro Especializado de Atendimento à Mulher (Ceam), ampliando a rede de proteção à mulher. Campos também vai ganhar, em breve, o núcleo do Programa Empoderadas. Também fazem parte da rede de proteção às mulheres vítimas de violência a Casa Benta Pereira e a Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam).