Inea realiza ações de limpeza e desassoreamento em 38 rios e canais

A iniciativa teve início em novembro de 2019,  e prevê a retirada de cerca de 1.800 toneladas de sedimentos de 38 rios e canais de vários municípios fluminenses




09/06/2020, 09h19, Foto: Divulgação.

Quase duas milhões de pessoas são beneficiadas com as ações de limpeza e desassoreamento  em corpos hídricos no Estado do Rio de Janeiro. Executada pelo Instituto Estadual do Ambiente (Inea), órgão da Secretaria de Estado do Ambiente e Sustentabilidade (Seas), a iniciativa teve início em novembro de 2019,  e prevê a retirada de cerca de 1.800 toneladas de sedimentos de 38 rios e canais de vários municípios fluminenses. Os investimentos são  da ordem de R$ 47,7 milhões, do Fundo Estadual de Conservação Ambiental e Desenvolvimento Urbano (Fecam). (leia mais abaixo)


Dentre os corpos hídricos contemplados, desde novembro de 2019,  estão os rios Queimados, no município de  Queimados, e  o Sarapuí, em Nilópolis, ambos na Baixada Fluminense; Rio Ribeirão das Pedras, em Itatiaia; e Canal dos Coqueiros, em Campos dos Goytacazes. A recuperação ambiental desses corpos hídricos recebeu investimentos de R$ 14 milhões, dos R$ 47,7 milhões do Fecam.


No Rio Queimados, as intervenções são executadas em trecho 1,4 km de extensão para a retirada de 21,6 toneladas de lama, beneficiando a 13 mil moradores. Esse corpo hídrico é formado pela confluência entre os rios Camarim e Abel que drenam todo o centro do município e bairros adjacentes.


No Rio Sarapuí, que divide os municípios de Nilópolis e Mesquita, os serviços de limpeza e desassoreamento já foram executados em trecho de 1,5 km de onde foram retirados cerca de 28,8 toneladas de sedimentos. A obra contempla mais de 12 mil habitantes.


- Essas obras são necessárias porque contribuem para mitigar os efeitos das inundações - destacou o diretor de Recuperação Ambiental do Inea, Armando Junior


No interior, o serviço beneficia mais de 32 mil moradores do município de Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense com intervenções no Canal dos Coqueiros. Desse corpo hídrico, já foram retirados 115,2 toneladas de sedimentos em trecho de seis quilômetros de extensão.


O Canal dos Coqueiros tem importância estratégica para a cidade de Campos, pois foi construído para drenar a planície entre o Rio Paraíba do Sul e a Lagoa Feia. Atualmente, beneficia produtores rurais  porque capta água do Rio Paraíba do Sul para irrigar plantações.


Em Itatiaia, a iniciativa beneficia o rio Ribeirão das Pedras, com a limpeza e  a remoção de cerca de 43,2 toneladas de lodo em mais de dois quilômetros de extensão.


Fonte: Ascom