"Campos registra de 8 a 10 acidentes de moto por dia. É assustador", diz Hirano

Muitos motociclistas com sequelas graves e outros, morrem. Dados apresentados pelo Secretário de Saúde durante relatório de gestão na Câmara




08/10/2021, 06h33, Foto: Campos 24 Horas e ilustrativa.

(Da: Redação/Campos 24 Horas) - Campos acumula um numero assustador de 240 a 300 acidentes de motos por mês, com centenas de pessoas com sequelas graves e outras mortas todos os meses. O assunto foi destacado nesta quinta-feira (07) pelo Secretário Municipal de Saúde, médico Paulo Hirano, durante o relatório do segundo quadrimestre de gestão da pasta este ano na Câmara de Vereadores. (leia mais abaixo)


“A média é de oito a dez acidentes de moto por dia, com gente matando e morrendo no trânsito, quando não ficam sequelas muito graves em pessoas que passam a viver por 10, 20, 40 anos com sequelas muitas vezes dependente dos outros ou acamados para o resto de suas vidas”, ressaltou.  (leia mais abaixo)


— Convivemos nesses tempos de muitas barbaridades no trânsito em que muitos motoqueiros não respeitam mais nada. É perigo constante para quem caminha pela calçada, quando não são as ultrapassagens indevidas no sinal de trânsito ou quando o caminho está entupido e sobe sobre a calçada quase atropela que está ali. São acidentes graves com um custo muito alto, sequelas para a vitima e tristeza para as famílias.   (leia mais abaixo)


Paulo Hirano pregou uma mobilização da sociedade com ações de conscientização para a redução dos acidentes envolvendo motociclistas. “Faço um apelo. Precisamos desta mobilização que começa na escola, passa pela família e por esta Casa de leis para que possamos intervir na vida das pessoas a fim de protegê-las e aplicar sanções a quem põe a vida do seu semelhante em risco. Se o motociclista continua a fazer coisa errada, apreenda a moto dele. Ele tem que aprender de alguma forma. Não adianta o doutor Artur conseguir atender o traumatismo de crânio no Ferreira Machado. Nós precisamos evitar que a pessoa chegue ali naquelas condições ”, afirmou. (leia mais abaixo)


Hirano comentou ainda que durante a pandemia houve uma retração significativa da assistência à saúde. o que acarretou um acúmulo na demanda ambulatorial para atendimento a pessoas com complicações decorrentes de doenças crônicas. (leia mais abaixo)


“Isto ocorreu a nível mundial, e em Campos não foi diferente. A pandemia levou ao isolamento das pessoas, ao fechamento de ambulatórias em clínicas, consultórios e hospitais. Então, agora essas doenças e patologias que estavam represadas e sem assistência estão neste momento explodindo nas unidades de saúde. Todas essas doenças crônicas como hipertensão ou diabetes causam no final insuficiência renal, infarto no miocárdio e acidente vascular cerebral, algo que tem acontecido de forma assustadora. Por exemplo, o índice de internação por cardiopatia está muito alto”. (leia mais abaixo)


Paulo Hirano destacou ainda a abertura da Policlínica do Idoso, no Parque Tamandaré. “A Policlínica do Idoso, com atendimento em 15 especialidades, foi um alento importante com o fechamento das unidades de saúde e o ambulatório HGG (Hospital Geral de Guarus)”, frisou.  (leia mais abaixo)


O secretário acrescentou ainda a vacinação contra a Covid, com a aplicação da terceira dose de reforço, seguindo recomendações de portaria do Ministério da Saúde. Paulo Hirano ressaltou a abertura de leitos do Hospital Ferreira Machado. “Importante destacar que, graças a uma estratégia de atendimento que foi traçada, agora no Ferreira Machado não existe mais aqueles pacientes nos corredores”.    (leia mais abaixo)


O diretor de Atenção Básica, Rodrigo Carneiro, destacou a campanha de vacinação contra a Covid. “Temos avançado numa proporção maior se compararmos à campanha de vacinação no plano federal e estadual, e agora vamos traçar uma estratégia vacinação em adolescentes nas escolas com a reabertura das unidades de ensino no final do ano”.