Usina Canabrava também é investigada pelo MP-RJ por fraudes e adulteração

Além do Ministério Público do Trabalho, usina também é investigada pela Promotoria de Investigação Penal de Campos (MP-RJ)




16/08/2019, 10h07, Foto: arquivo.

Na semana em que o Ministério Público do Trabalho (MPT) anuncia uma apuração sobre suspeita de trabalho análogo escravo na Usina Nova Canabrava, o Campos 24 Horas obteve informações nesta sexta-feira (16/08) de que a usina continua sendo investigada por outra suspeita grave, qual seja, de fraudes derivando para lavagem de dinheiro, estelionato, adulteração de combustíveis, entre outros. Inclusive, há dois anos, já foi realizada uma operação para coleta de provas. A operação foi batizada como “Combustível Limpo”, com ações de integrantes do Ministério Público (MP-RJ), da Agência Nacional do Petróleo (ANP), do Procon e Receita Estadual, além de suporte do GAP e das Polícias Rodoviária Federal e Militar. Na ocasião, documentos foram apreendidos na Usina Canabrava.


A investigação está em curso na Promotoria de Investigação Penal de Campos (Ministério Público Estadual). Alguns dirigentes da usina já foram ouvidos nesta investigação, na qual as distribuidoras Ypiranga, Shell e BR figuram como possíveis vítimas de estelionato industrial por terem comprado combustível adulterado.


RELEMBREM O CASO AQUI