Buscar:

Envie textos e fotos: WhatsApp (22) 9 9709-9308

Envie WhatsApp para (22) 9 9709-9308

quinta-feira, 29 de maio de 2014    -    Foto: Saulo Garcez / Campos 24 Horas

O governo paulista pretende retirar água da principal fonte de abastecimento do território fluminense para evitar o racionamento na Grande São Paulo


paraibaA Justiça Federal do Rio de Janeiro estabeleceu prazo de 72 horas para que o governo do Estado de São Paulo, a ANA (Agência Nacional de Águas) e o Ibama se manifestem a respeito da ação movida pelo MPF-RJ (Ministério Público Federal , em Campos) contra o projeto de transposição do rio Paraíba do Sul. O governo paulista pretende retirar água da principal fonte de abastecimento do território fluminense para evitar o racionamento na Grande São Paulo.



O despacho foi proferido pelo juiz da 2ª Vara Federal de Campos, Gilson David Campos. A ação, com pedido de liminar, foi protocolada na semana passada pelo procurador da República Eduardo Santos de Oliveira. Segundo o MPF, a proposta "pode significar prejuízos ambientais e falta de água para população fluminense".


Na ação, em caso de descumprimento, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), poderá ser "diretamente responsabilizado". É sugerida aplicação de multa diária aos réus, incluindo o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSBD), de R$ 50 mil em caso de descumprimento.


O Ministério Público Federal requere ainda que a Agência Nacional de Águas não dê qualquer autorização para a implementação da obra enquanto não forem realizados os estudos ambientais "necessários e abrangentes" por parte do Ibama, além de suspender uma eventual autorização para tal projeto.


Uma vez deferidos os pedidos do MPF, o Ibama seria proibido de conceder qualquer licenciamento ambiental para as obras de transposição, bem como a União também deveria se abster de autorizar o projeto.


Em março, Alckmin anunciou uma obra para interligar o Sistema Cantareira e a bacia do rio Paraíba do Sul, como alternativa para evitar o racionamento de água na Grande São Paulo. A ligação custaria R$ 500 milhões aos cofres do governo paulista e ficaria pronta em 14 meses.



No mês passado, um relatório divulgado pelo ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico) mostrou que a bacia do Rio Paraíba do Sul também atravessa uma crise de estiagem que pode deixá-la com apenas 1,8% da capacidade em novembro. O nível seria o mais baixo da história dos reservatórios que abastecem a região do Vale do Paraíba e 80% do Estado do Rio.


______________

Fonte: UOL

Compartilhe

Leia matéria completa

Anuncie Conosco

(22) 9 9709-9308

E-mail:

VerboTec Desenvolvimento e Tecnologia.