Buscar:

Envie textos e fotos: WhatsApp (22) 9 9709-9308

Envie WhatsApp para (22) 9 9709-9308

Atualizado: quinta-feira, 5 de junho de 2014   -  Foto: Saulo Garcez e Filipe Lemos / Campos 24 Horas

Procurador da República em Campos concedeu coletiva de imprensa e falou sobre a investigação que resultou em prisões por crime ambiental


Rio Paraíba esgotoProcurador 4O procurador da república em Campos, Eduardo Santos de Oliveira, concedeu  uma coletiva de imprensa na manhã desta quinta-feira (05), durante a qual falou sobre a prisão do superintendente da Concessionária Águas do Paraíba, Mário Fazza,  e de uma síndica de um dos blocos do condomínio "Balança mais não Cai", no Parque Vicente Dias, em Guarus, acusados de crime ambiental, em razão de lançamento de esgoto in natura do Rio Paraíba do Sul.



Eduardo Santos Oliveira afirmou que a prisão se deu com base em um laudo probatório elaborado pela Universidade Estadual do Norte Fluminense (UENF) e por Informação Técnica do Ibama. De acordo com o laudo, foi constatada poluição do Rio Paraíba do Sul, a qual, segundo as apurações, é proveniente da Estação de Tratamento de Esgoto da Concessionária Águas do Paraíba e do Condomínio João Paulo II, conhecido popularmente como “Balança mas não cai”.


"Foi feita uma visita por técnicos do Ministério Público(PMF), técnicos da Uenf e  do Ibama, que constataram o despejo de esgoto. Eles recolheram amostras que foram levadas para Uenf", disse o procurador. Ele acrescentou que a concessionária pode sofrer sanções graves. "Ela certamente será responsabilizada criminalmente. E acredito que pode até ocorrer sanção administrativa, chegando a rescisão do contrato", ressaltou.


Procurador 3Eduardo Santos Oliveira também ressaltou que o superintendente foi detido por ser o representante legal da concessionária que supostamente pratica danos ambientais.
Já a síndica foi detida em razão da constatação de que há lançamento de esgoto sem tratamento, de forma direta no Paraíba.


O MPF  instaurou procedimento investigatório criminal, a partir de reclamações da população diretamente veiculadas na mídia. O despejo de resíduos foi constatado por filmagem e fotografias.


Os presos foram encaminhados à Polícia Federal, para lavratura da prisão em flagrante. O caso foi atendido pelo Delegado de Polícia Federal de plantão, Anderson Lima Costa, que procedeu à oitiva dos envolvidos, com a instauração do devido inquérito policial.


Tanto o superintendente da concessionária quanto a síndica pagaram fiança e vão responder o inquérito em liberdade.Rio Paraíba esgoto 3Rio Paraíba esgoto 2


 

 



 

 

 

Compartilhe

Leia matéria completa

Anuncie Conosco

(22) 9 9709-9308

E-mail:

VerboTec Desenvolvimento e Tecnologia.