Buscar:

Envie textos e fotos: WhatsApp (22) 9 9709-9308

Envie WhatsApp para (22) 9 9709-9308

Adrianinho confessa ter matado mãe e filha

Assassinatos de Isabelle Paes Laurindo, de 11 anos, e da sua mãe Gilcilene Paes Pereira, de 44 anos ocorreram em maio

05/08/2014 07:07:32

Compartilhe

Atualizado: segunda-feira, 4 de agosto de 2014  - às 19h     -    Foto: Filipe Lemos e  Saulo Garcez / Campos 24 Horas  - 23h55
adrianinho 5Adrianinho revólvercrime 1605 mãe e filhaGEDSC DIGITAL CAMERA


Em depoimento na 146ª DP/Guarus na tarde desta segunda-feira (4), Adriano Conceição de Lima, o Adrianinho, confessou ter matado Gilcilene Paes Pereira, de 44 anos, e sua filha, Isabelle Pereira Laurindo, de 10 anos. Ele foi preso pela Polícia Militar na noite de domingo (3), por volta das 23h, em São Francisco de Itabapoana. O crime aconteceu em maio deste ano, no assentamento Zumbi 4, em Campelo, zona rural de Campos.

De acordo com o delegado adjunto da 146ª DP/ Guarus, Pedro Emílio Braga, Adrianinho contou detalhes do crime.

"No dia dos fatos, ele pegou um saco de ração que tinha encomendado ao marido e pai das vítimas, levou para sua casa, selou um cavalo e saiu em seguida para se divertir em uma pista de laço. Quando passava em frente à casa das vítimas, Gilcilene o chamou e ofereceu um perfume. Ele alegou que, em um tom de brincadeira, disse que não ia comprar nada porque ela para cobrar era um bicho. Com isso, ela se irritou e jogou um copo de vidro no rosto dele. No momento em que recebeu essa agressão, Adriano ficou irritado e pegou um pedaço de pau e foi em direção a ela. Ele então  avança para revidar a agressão, ela sai da frente e a paulada acaba acertando Isabelle que cai no chão desacordada", revelou o delegado a versão apresentada por Adriano.


adrianinho 7O delegado ainda informou que a partir daí, Gilcilene pegou uma faca qpara defender a filha. "Ele consegue desarmá-la e a atinge com quatro facadasa. Mesmo ferida, a mãe de Isabelle levanta vai atrás dele.  Ele então a atinge com um pedaço de madeira na cabeça. Depois de ter matado Gilcilene, Adriano leva a menina na casa do amigo Gelson para pedir ajuda, mas infelizmente Isabelle não resiste aos ferimentos.  E para não incriminar o amigo,  Adriano joga o corpo da menina no bebedouro de animais", disse o delegado, que também, informou que Adriano fugiu inicialmente para Rio das Ostras, onde teria ficado por cerca de um mês perambulando pelas ruas da cidade.

Adrianinho pmsA prisão
O acusado do duplo homicídio foi  preso dentro da Escola-Abrigo Pinóquio, situada na praia de Gurirri, na Estrada que liga a sede do município a Barra do Itabapoana. Adriano estava com um revólver calibre 32, com três munições deflagradas e duas intactas e uma faca, e se alimentava na cozinha da escola.

Como aconteceu a prisão
Há duas semanas  funcionários da Escola Pinóquio, uma instituição que abriga crianças carentes de São Francisco de Itabapoana, encontravam a cozinha revirada e davam por falta de alimentos. A polícia foi avisada e suspeitou que o autor do furto poderia ser Adriano, que se escondia em matas durante o dia e roubava alimentos da escola durante a noite. A confirmação ocorreu  na noite deste domingo, quando moradores vizinhos a escola perceberam que a luz da cozinha estava acesa e acionaram a Polícia Militar.

Quatro equipes da PM de São Francisco(foto ao lado) chegaram ao local em poucos minutos. Os policiais, inicialmente,  vasculharam o prédio e nada encontraram. Foi quando um deles resolveu verificar um sofá que estava pesado e encontrou Adriano escondido. "Ele estava deitado e encolhido", disse um policial. Também foi descoberto que Adriano já estudou na escola-abrigo durante a adolescência.

[caption id="attachment_188828" align="alignleft" width="449"]Lucia Maria Lucia Maria, a diretora da escola (Foto: Saulo Garcez / Campos 24 Horas[/caption]

Lucia Maria, que é diretora da escola onde Adriano foi encontrado, falou ao Campos 24 Horas na madrugada desta segunda-feira enquanto aguardava para dar depoimento na 134ª DP/Centro, para onde Adriano foi levado após a prisão.

"Há duas semanas, ele entrava, retirava alimentos do congelador e preparava no fogão. Além disso, comia as  frutas das crianças. É um folgado. Graças a Deus foi preso, pois estávamos com medo. Ele já matou mãe e filha, e estávamos pensando o que poderia fazer com as crianças da nossa escola", disse Lucia Maria.

A diretora diz que no final da noite de domingo moradores cercaram o prédio da escola ao perceberem que a luz da cozinha estava acesa. Ao perceber que estava cercado, Adriano disparou três vezes para intimidar os moradores. Prova disso foi que o revólver encontrado com ele tinha três munições deflagradas. "A suspeita que tínhamos foi reforçada quando uma moto que ele roubou aqui na escola foi encontrada na casa do pai dele", revelou Lucia Maria.

Tenente FrazãoDo momento da prisão até a apresentação ao delegado de plantão na 134ª DP/Centro, Adriano permaneceu calado.

O tenente Frazão, da PM, que comandou a operação que resultou na prisão, informou que a polícia já suspeitava que o roubo de alimentos na escola era feito por Adriano."Ele estava armado e roubava durante a noite para se alimentar, pois estava sendo procurado e não podia aparecer durante o dia. Prendemos um homicida que lamentavelmente tirou a vida de uma mãe e uma filha e chocou a população", disse o tenente Frazão.

Segundo a polícia, Adriano tinha interesse em se relacionar com a menina Isabele e teria sido flagrado pela mãe quando assediava a menina.

Relembre o caso
Glicilene Paes Pereira, 44 anos, foi espancada e esfaqueada até a morte no quintal de sua casa após sua filha ter sido sequestrada na noite do dia 15 de maio, no assentamento Zumbi dos Palmares 4. Cinco dias após o crime, um trabalhador rural aposentado encontrou o corpo de Isabelle Paes Laurindo, de 10 anos, dentro de um bebedouro de animais.


[caption id="attachment_188830" align="alignleft" width="527"]Isabele corpo Corpo da menina Isabele foi encontrado em um tanque de animais (Foto: Campos 24 Horas/arquivo)[/caption]

Segundo a polícia, Glicilene, que foi encontrada pelo seu marido, recebeu golpes no rosto e na cabeça e pode ter entrado em luta corporal com o criminoso para tentar salvar a filha.

Revoltados com o duplo homicídio, a casa do suspeito foi incendiada pelos vizinhos das vítimas. Diante de tanta violência, o pai de Isabelle, Ubirajara Pereira, ficou internado em estado de choque.

Adriano Conceição de Lima morava a cerca de 500 metros do local do crime e foi visto pela última vez pegando ração na casa da vítima. Na residência, também foi encontrada uma sandália, esquecida pelo criminoso. O pai do suspeito foi levado para a 146ª Delegacia de Guarus e reconheceu o calçado do filho.

A polícia esteve duas vezes na casa de Adrianinho, a primeira vez encontrou uma calça, uma camisa, um par de tênis e duas munições calibre 20. As peças de roupa estavam com vestígios de material que pode ser sangue humano. Na segunda vez, os policiais apreenderam um revólver calibre 32 com seis munições e uma garrucha.crime 1605 10

 

 

 

Compartilhe

Leia matéria completa

Anuncie Conosco

(22) 9 9709-9308

E-mail:

VerboTec Desenvolvimento e Tecnologia.